-Escrever um primeiro post com o sono que estou é perigoso, mas vai, vou, irá!-

Esse é o meu terceiro Blog, acho.
Representa uma fase, das mil.
E voltei porque preciso, e gosto, e estava com saudade.
Mesmo que pra meia dúzia de pessoas, eu preciso me mostrar.
E então, não daquele mesmo jeito, mas com a mesma vontade, compartilharei confissões de uma mulher (não mais adolescente), algumas bem sinceras, outras bem articuladas e mentirosas, mas aí ninguém vai saber o que é o quê, porque nisso eu sou boa.
Apesar de que, tou varrendo todos os disfarces e agradando a mim mesma, a parte importante da história.


Por falar em história, a minha é grande e louca. E olhando pra trás me orgulho de tudo, até mesmo das partes que me fizeram chorar ou que fizeram pessoas perto de mim chorarem. São elas que moldaram a mulher que sou hoje, que já sabe e escolhe somente o que quer, que dispensa beiradas e sobras, e que consegue se dizer segura. E que adora repetir essa frase só para não esquecer a lição tomada e retomada.

Eu gosto das coisas interessantes. Mas me interesso por coisas que não interessam muito. Porque eu preciso gostar do diferente e do errado também. O normal e o certo eu até acho legal, mas entedia.

Na maioria das vezes eu rio da vida. Quando me molho na chuva, quando eu perco o ônibus ou quando este está lotado em pleno engarrafamento de 2 horas… É que tudo tem seu lado de graça. Mas como dizem que “rir de tudo é desespero” eu também fecho a cara as vezes. E me dou o direito de ficar mau humorada e fico com gosto, porque se é pra ser que seja por inteiro.

E vivo por inteira o meu trabalho, o meu estudo, os meus amigos e amores.
Mas não crio mais dependência de ninguém. Aprendi que pra ser feliz a gente só precisa contar com a gente mesmo. E é preciso ser leve para amar. E amar muito, todas as coisas, porque quando uma delas não mais existir não precisemos perder o chão.

Ah! Hoje sei o que é traçar metas e não ficar presa a elas.
Cobrança e culpa atrasam.

E nada é mais importante que viver tudo, recolher tudo e absorver o necessário.

Minha mente não me deixa pensar de tanto sono aí eu tenho que me despedir porque vocês sabem, não há nada pior que embalalhar as frrases e estes ficerem desxconesaslpd´kd.,qkdeçl;……..

Anúncios