Cara, como eu sou feliz!

Essa frase olhando pra semanas atrás parece meio desconexa. Mas aí, olhando sob meu prisma, é mais coerente que tudo na minha vida.

Eu nunca tive tanto orgulho de mim. E eu nunca pensei que me transformaria nessa mulher tão especial que me tornei. Sem falsa modéstia mesmo. Hoje, com tudo o que passei, continuei entregue a um único propósito. Seguir, crescer, e receber as respostas que sempre mereci. Eu sabia que pra mim só poderia vim o melhor, mas pra isso eu precisei passar por momentos ruins, com pessoas piores ainda, pra saber exatamente do que eu precisava. No momento estou cercada de coisas que só me colocam pra frente, e agora eu sei que esse é o caminho do meu melhor futuro.

Pra arrumar as gavetas você tem que tirar tudo dela. Aí quando você olha pras coisas parece que nunca vai conseguir arrumar. É uma etapa inadiável, essa etapa da bagunça. Agora está tudo arrumado. Pronto pra uma nova bagunça talvez, afinal, a gente tá sempre usando uma coisa ou outra e colocando outras novas na gaveta.

Mas não interessa. O que interessa mesmo é a minha felicidade e a grande admiração que tenho pela minha história. Sempre ouço das pessoas o grande respeito que elas tem por mim e pela minha luta. As minhas amigas do trabalho vivem me lembrando da força extraordinária que tenho dentro do meu peito. E sinceramente, pra mim não há nada mais satisfatório!

Anúncios