You are currently browsing the category archive for the ‘amizade’ category.

Dizem que anos pares não são muito bons. Na verdade este ano para mim foi metá metá. Bom e ruim. E por incrível que pareça o ruim foi bom, já que consegui tirar do limão uma ótima limonada.

Este ano me provou o quanto sou forte. Fez me orgulhar ainda mais de mim, superei obstáculos, consegui estabilidade e me viro bem sozinha, no mais perfeito equilíbrio. Este ano mudei duas vezes de casa, mudei de emprego, mudei de ares, mudei de humor, mudei de clima. Este ano me reinventei. Provei por a + b quem sempre estará comigo, cultivei antigas amizades, cuidei de observar bem as novas…  Hoje minha família se preocupa bem menos comigo e me apoia muito mais, acredito que vêem o quanto posso ficar ainda melhor.

Então não tenho queixas.

Agradeço no fundo do coração a 2010.

Alegria sempre! Se não for sempre a gente faz uma forcinha…

Porque são anos, muitos anos de muito amor.

Porque o conheci com cabelos nos ombros, rosto de menino e já muito encantador.

Porque foram confidências demais para serem esquecidas.

Porque são milhares de declarações e evidências infinitas.

Porque ele tem mil “jargões” que me acompanham até hoje, né macho?

Porque eu sou a melhor das melhores amigas, eu acho.

O tempo longe só fez eu me certificar o quanto você é especial. O quanto você é importante e o quanto você me faz falta.

Já quase quebramos um guarda-roupa pra fazer fogueira, já rimos da cara do outro, já choramos nos braços do outro, já corremos no mar, já nadamos na pista, já nos ferimos, já nos saramos. Você é um dos poucos que me conhece de verdade, e eu sou uma das poucas que sabe das suas besteiras. E no final das contas descobri, que lá no fundo da alma e das lembranças mais bonitas da minha juventude, tem um tal de Ciro Colares, meu menino, meu querido e meu amigo, sempre presente, sempre!

Recebi duas ligações especiais ontem e hoje. Tem pessoas que não importam quanto tempo você ficou longe ou sem se falar, quando há um contato, seja por telefone, por internet ou até mesmo pessoalmente, parece que foi ontem a última vez. Aí me lembro dos amigos eternos. Sinto fortemente o quanto eu sou amada e isso dá uma paz, uma segurança.

Eu nunca vou estar sozinha…

São 1:20 da manhã. É claro, eu amo a madrugada e não consigo deixá-la de lado. Geralmente tenho um fiel companheiro que comunga bobagens e seriedades comigo pelo MSN nesses momentos solitários (nem tanto). Anderson Moura, vulgo Bap, meu amigo querido do peito. Ironicamente, ao pedir um auxílio de um tema pra dividir com vocês aqui no Blog, ele vem com este: “sei lá, fale sobre a lenda da amizade entre homem e mulher”. Mas meus caros, isso é lenda?

Sempre ouvi dizer que há maldade em um dos lados: “Não, com certeza se um dos dois derem mole, rola”. Acreditar em todas as amizades homem x mulher, seria acreditar na política brasileira , por exemplo. Mas julgá-las como maldosas sempre é um exagero pervertido. Será?
Tenho um conhecido que diz que é possível sim ser amigo de uma mulher, é claro, se a mesma for no mínimo aquela baranga.
Eu sei da visão machista, sim senhor. Até mesmo porque tenho uma porrada de amigos homens.
Eis. A praticidade impera esse clã. Digamos… Sexo e amizade. Para a maioria não são excludentes. Ou seja, pode sim rolar entre amigos, porque não? Sexo não estraga uma amizade. O que poderia estragar seria algo mais sério. Um envolvimento amoroso neste caso. Você sentir que a sua amiga, depois daquela noite que vocês ficaram doidões e rolou uma transa maravilhosa, no outro dia já te olha com sinistros olhões brilhantes, diferentes e apaixonados. Toda aquela sua visão de “amiga pra caralho” desaparece. Esta vira mais uma mulher que não sabe separar sexo de envolvimento.
A verdade é que o poder imaginatório e criativo da mulher é bem mais vasto que a do homem. É claro que depois de transar com o melhor amigo ela imagina que aquilo pode ser o início de um belíssimo caso de amor… Conheço caras que encaram a melhor amiga como a irmã mais nova. Imaginar ela na sua cama é algo nojento e pecaminoso. E não, eles não são gays antes que pensem alguma coisa caro(o) leitor(or). E certamente o outro lado da moeda se sente meio incomodado com a situação. “Como assim ele não me dá uma olhada nunca? Ah, mesmo sabendo que não pegaria ele jamais, eu queria perceber que provoco a atenção sexual dele”. Percebem como são? Criaturas incrivelmente complexas.
Bom, há também aqueles (homens e mulheres) que são tão resolvidos pessoalmente que realmente encaram a amizade com o sexo oposto uma ótima. Sem conflito, sem sexo, sem nóia, sem romance ou pirações. Porque sabem que esse tipo de amizade é essencial pros inteligentes, mesmo! Pra nós mulheres um amigo homem é imprescindível naquelas questões onde o que você precisa ouvir é direto e sem vaselina. Pra os homens a amizade feminina serve pra mostrar o lado sensível e maternal das coisas. São duas pessoas que se complementam, dividem experiências, sem a cegueira sexual ou romancista da coisa. Talvez um amor ainda mais puro e tranquilo.

Minha conclusão. Há pessoas que realmente não lidam muito bem com isso. Sempre confundem, se machucam, machucam e enfim… não servem pra dividir uma amizade com o sexo oposto. Porém, há outras que isso é absolutamente possível, eu mesma me encaixo nesse grupo. Tenho sorte de ter os amigos que tenho, eles me ajudam um monte e te dizer, a amizade masculina é muito mais confiável, as meninas que me perdoem.

Qualquer semelhança é mera coincidência.

Ela encontrou com ele numa mesa de sinuca. Uma amiga os apresentou e enfim, ela atraía todas as atenções, mas de um jeito estranho quem se sentiu atraída foi ela. De início era mesmo pelo bom papo, e pelo jeito “dele” falar como se fosse o mais íntimo dos seus amigos. Depois pelas coincidências de personalidade e opinião. Eles sentiam igual, o mundo, as relações, as sensações… Uma semana passou e eles se falavam todas as noites quando ambos chegavam em casa do trabalho. Decidiram outro encontro e no final do dia recebi este email:

“Sabe quando você sabe que é especial? Não, não foi a primeira vista. Ou foi e eu não percebi? Eu penso que foi rápido e construtivo cocomitantemente. Não dá pra compreender bem uma coisa: É possível construir algo sólido em pouco tempo? Sólido não como estado físico, mas como qualidade, clareza, e fortaleza. Eu sinto que foi o que aconteceu apesar de paradoxo. Aí as coisas se concretizam e se afirmam. Como se o destino quisesse dizer, ‘sabe aquilo que você imaginou não existir? É utopia e está na sua frente’. Levando em conta que utopia pode ser comparado com fantástico, e voltando pra minha realidade, vejo que não é tão irreal assim.
É tudo louco, como a mim e a minha vida. Mas é tudo tão certo, óbvio, fantástico, fato!”

Dias sem notícia. Até achei que a paixão tinha passado. Não é a primeira vez que ela me relatava algo assim arrebatador. Mania de se aventurar… Mas eu estava errada, comparecia ela novamente na minha caixa de email:

“Eu vou te dizer como ele é. O visual é como aquele que eu acho o ideal. A boca é um imã perigoso. Tem um sorriso que desarma e acalma. Mas as mãos me deixam tensa. Às vezes é magia, às vezes é simples… Por mais que eu não queira, eu me sinto parte dele. Com a gente tudo se encaixa. E sabe qual é o melhor? A gente não é obrigado a se falar, a se encontrar. E nem existe regra além de uma: continuarmos especiais. Eu nunca coloquei uma máscara sequer. Eu nunca precisei me vestir. Eu nunca deixei por falar. É como se eu me mostrasse por completa. Ele entende, observa, concorda, e ainda complementa. E apesar de tudo, apesar de eu sentir que ele se despe igualmente pra mim, ele é um mistério. Não saber como nós vamos acordar amanhã é o que me faz acordar e dormir com ele na cabeça. É estranho, você já me viu falar assim?”

Não querida. Eu nunca vi. E certamente vai ser a última vez que verei!

Antes eu sentia e vivia algo muito diferente do que vivo hoje.

Eu procurava agradar os outros mais que a mim, às vezes me anulava pra não ouvir críticas, e quando elas surgiam eu me sentia a pior das criaturas. Eu fazia muitas coisas que não queria, e não sabia dizer não. Mas dizer sim pros outros, era dizer não pra mim.

Aí antes de eu vim pro Rio, muitas coisas ficaram confusas e embaralhadas. Eu não tive o apoio que precisei, eu também errei um bocado, e alguns que eu garantia que estariam até o fim, me surpreenderam com uma bela virada de costas.


Ninguém tem obrigação com ninguém. Eu até achava que tinha. Até quando fiquei aqui nos primeiros meses, sofri com algumas posturas, posturas sem explicações ou direito de minhas explicações. Depois caí em mim. Fica quem quer ficar. Amizade é gratuita. Apreço também. E aí que percebi que quantidade não compensa qualidade.


Eu achava que tinha muitos amigos. E hoje eu sei que tenho bons e leais.

Hoje eu falo o que penso. E digo muitos nãos. Eu consigo ser eu mesma. Não estou nem aí pras críticas, e quando elas vem, eu sinto que vem com amor e respeito.

Eu acho que mudei. Não, eu tenho certeza que mudei! Não culpo ninguém, e nem julgo. Não tenho mágoa, pelo contrário, sou grata.

Eu sinto a presença dos meus amigos. Posso ficar dias sem falar com alguns deles. Mas vivo situações sérias e importantes e sinto cada um do meu lado. E quando ligo, procuro, eles não me condenam. Eles me recebem de braços abertos. Como se tivesse sido ontem a última vez.


E hoje vocês não têm noção o quanto sou feliz e realizada. Continuo tendo meus tropeços e minha personalidade continua ainda mais louca. Mas não há nada mais pra eu me envergonhar ou esconder. Não é a gente que tem que se amar? Quem chega junto é porque, sem obrigação nenhuma aprende a amar a Lore Almeida que sou.

Às vezes eu presto, outras não valho nada… Mas quem liga? Você?

Lore Almeida

Não tão simples. Pelo contrário. 24 anos e formada como Comunicóloga desde o berço. Lorena Almeida. Lorena porque meu pai é loiro e minha mãe morena, muito criativos esses seus pais!!! Eterna metamorfose, tudo demais e transbordante. Vida!!! Mais do que pode suportar... Às vezes explode, explosão de fúria, amor, desequilíbrio. Tem vezes que se sente a velha mais rabugenta do mundo, outras, a criança mais desprotegida e entusiasmada que existe. Esforço, amizade, família, namorado, INTERNET, atualidades, notícia, diversão, cinema, publicidade, arte, sapatilhas, chocolate, comida oriental... Perseguidora das respostas, mas sem interesse de achá-las prontas. Discussão, discórdia, OPINIÃO. "Não sou detentora da razão. Ela está em partes, precisamos uní-la".

Dia-a-dia

junho 2017
S T Q Q S S D
« jan    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930